Inteligência Emocional: Mitos e a realidade

“Aquele que conhece os outros é sábio.

Aquele que conhece a si mesmo é iluminado”

Lao-Tsé

Se tem inteligência emocional, conhece-se bem; reconhece com facilidade as emoções em si e nos outros; sabe controlar-se; é motivado e luta para se aperfeiçoar ou ter o que ambiciona; e influencia intencionalmente as outras pessoas.

Mas, será que quanto maior for o grau de inteligência emocional, maior a probabilidade de sucesso no trabalho, maior rendimento, maior saúde e melhor relação com os outros? 

1. Quanto maior a Inteligência Emocional (IE) melhor o Desempenho?

Nos anos 80, Daniel Goleman defendeu que a IE contribuía para a excelência do desempenho numa proporção de 2 para 1. A IE é um fator determinante no sucesso profissional e na liderança em particular. Ou seja, se tem 100 de inteligência emocional e 50 de inteligência, vai ter melhor desempenho do que aqueles que têm 100 de inteligência.

Contudo, resultados provenientes de diferentes estudos realizados em 2010 e 2011[ii] indicam que a IE só influencia o desempenho de forma inconsistente. Ou seja, para ter um bom desempenho não chega ser emocionalmente inteligente (pois este fator influencia o desempenho de forma inconsistente).

Conclusão: As pessoas com maior inteligência emocional não têm necessariamente um melhor desempenho ou maior sucesso do que as consideradas “apenas” inteligentes.

2. As pessoas que têm maior facilidade em identificar emoções têm maior sucesso financeiro?

Um estudo realizado em 2015[iii] que envolveu 426 pessoas de diversas profissões e organizações, não comprovou a relação entre inteligência emocional e rendimento financeiro. Não chega ter facilidade em identificar as emoções para ser bem-sucedido economicamente. Mas, quanto maior a sua consciência política (uma das qualidades associada à capacidade empática), maior a sua facilidade em movimentar-se socialmente para conseguir uma maior prosperidade financeira.

Conclusão: Não podemos afirmar que quem tem maior capacidade de leitura emocional terá um maior sucesso financeiro.

3. As pessoas emocionalmente inteligentes são mais criativas?

A criatividade/inovação é uma das caraterísticas do autocontrolo ou autorregulação, que integram as competências pessoais. Quanto maior inteligência emocional maior a criatividade e maior a capacidade de inovar. Esta relação é maior e mais forte nas mulheres do que nos homens.

Conclusão: Sim, se for emocionalmente inteligente possivelmente será mais criativo.

4. Os líderes emocionalmente inteligentes são mais eficazes no relacionamento com os outros?

Diversos estudos realçaram a importância da inteligência emocional na liderança por ser necessário autoconhecimento, autocontrolo, motivação, empatia para liderar outros. Poderíamos assim pensar que existe uma influência positiva de quem tem IE no relacionamento com os outros. Porém, um estudo realizado em 2017, que relacionava a inteligência emocional e o descanso através do sono e das relações interpessoais, verificou que aqueles que dormem pouco ou de forma irregular têm menor eficácia no relacionamento com os outros.

Conclusão: Sim, os líderes emocionalmente inteligentes são mais eficazes no relacionamento com os outros desde que não durmam pouco ou irregularmente.

5. As pessoas com elevada inteligência emocional são mais saudáveis?

Na análise dos resultados de vários estudos, que envolveram a resposta de cerca de 7898 pessoas, constatou-se que elevada IE estava associada com a melhor saúde física e mental.

Conclusão: Sim, uma elevada IE está associada a uma maior saúde física e mental.

6. As mulheres são mais empáticas do que os homens?

A IE, nos termos de Daniel Goleman, costuma ser genericamente associada às mulheres. Tânia Singer, neurocientista, investigou o que se poderia chamar um cérebro emocional e um cérebro racional. Descobriu que as mulheres têm maior empatia emocional do que os homens, o que se deve a um maior desenvolvimento dos neurónios espelho no que ela chamou cérebro emocional.

A existência de mais zonas cerebrais ligadas à inteligência social, ou capacidade de identificar e lidar com as emoções dos outros, foi confirmada por diversos estudos. Bar-on[1]. por exemplo, em 2002, defendeu que o cérebro das mulheres é estruturado para sentir empatia, enquanto o cérebro dos homens está mais direcionado para compreender e construir sistemas.

Conclusão: Sim, as mulheres são mais empáticas do que os homens.

7. Há diferença de inteligência emocional entre homens e mulheres[2]?

Há muitos estudos sobre as diferenças de inteligência emocional entre homens e mulheres. O que se constata é que, apesar de as mulheres, em termos médios, terem melhores resultados nesta dimensão os resultados são bastante contraditórios, o que significa que não podemos afirmar claramente que existem diferenças de IE entre os sexos.

Em aspetos concretos podemos identificar diferenças. Enquanto as mulheres identificam melhor as emoções em geral através das expressões, os homens distinguem, com maior facilidade, emoções relacionadas com comportamentos específicos relacionados com a fúria e sinais de agressão e ameaça[3].

Conclusão: Não há diferenças entre os sexos no que respeita à inteligência emocional em termos globais, mas há diferenças na IE entre homens e mulheres em aspetos concretos.

8. Há diferenças em termos de inteligência emocional entre homens e mulheres[i]?

Se tiver maior IE, terá uma melhor saúde física e mental, mas não se provou que a IE está diretamente relacionada com sucesso profissional, económico nem com melhores relações interpessoais. Há diferenças entre os sexos em alguns aspetos da inteligência emocional. As mulheres têm uma maior facilidade de identificação emocional no que diz respeito às emoções, maior empatia e criatividade. Os homens têm maior facilidade em identificar sinais de agressão ou ameaça.

9. Como desenvolver a sua Inteligência Emocional?

Se leu os meus artigos “Qual o impacto da Inteligência Emocional no dia-a-dia” e “Como desenvolver a sua Inteligência Emocional?”, sabe que a inteligência emocional é uma capacidade que pode ser desenvolvida. E, apesar de alguns dados poderem ser desconcertantes, a verdade é que uma maior inteligência emocional facilita uma melhor qualidade de vida em diversos aspetos. 

Pode desenvolver a sua inteligência emocional, mas dificilmente o fará através de cursos, livros ou palestrasA melhor forma de desenvolver a sua inteligência emocional é começar pelo seu autoconhecimento. Não deixe a qualidade da sua vida ao acaso, pode contactar-me para conhecer e desenvolver a sua inteligência emocional.

[1] Baron-Cohen em 2002 defendeu esta teoria.

[2] O sexo biológico, na maior parte dos estudos, é o que diferencia homens e mulheres quando se pergunta qual o sexo. Por isso adotamos essa terminologia para maior facilidade de exposição.

[3] M.E. Kret, M.E., Gelder, B.,(2012 “A review on sex differences in processing emotional signals”doi:10.1016/j.neuropsychologia.2011.12.022


[i] Todos os estudos consultados referiam-se aos participantes de acordo com o sexo biológico.

[ii] In Joseph, Dana L.,Newman, Daniel A. .(2010).Journal of Applied Psychology, Vol 95(1), Jan 2010, 54-78; O´Boyle Jr. E., Humphrey, R.H., Pollack J.M., Story, Paul, A.S.. (2011). The relation between emotional intelligence and job performance: a meta‐analysis.doi; 10,1002/job.714.

[iii] Momm, T., Blickle, G., Liu, Y., Wihler, A., Kholin, M., & Menges, J. I. (2015). It pays to have an eye for emotions: Emotion recognition ability indirectly predicts annual income. Journal of Organizational Behavior, 36(1), 147–163. https://doi.org/10.1002/job.1975

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Voltar ao topo